vingadores-magicine

Confira a crítica de Vingadores: Guerra Infinita

A Marvel Studios completa dez anos nos cinemas com Vingadores: Guerra Infinita, filme que deste seu primeiro anúncio, material de marketing ou informações seria o filme que mudaria totalmente o universo Marvel nos cinemas. Veremos neste texto se isso realmente aconteceu.

O filme tem um primeiro ato duro, logo de cara, mostrando ao espectador que ninguém está seguro, que todos os heróis estão sujeitos a Thanos (Josh Brolin), que ele irá buscar a todo custo as joias do infinito, completando assim sua manopla. Pra ele, não interessa como ele conseguirá isso.

O longa acerta a mostrar o tom de urgência durante toda sua 2h40 de exibição, o que poderia ser chato ou arrastado, neste longa é justificável. Os arcos para Thanos buscar suas jóias é totalmente baseado nisso. O objetivo é claro, conciso e palatável. Os roteiristas souberam trabalhar isso no longa, trouxeram uma história impecável as telonas.

Os irmãos Russo, retornam à direção de um filme Marvel depois de entregar dois ótimos longas do Capitão América, Soldado Invernal (2014) e Guerra Civil (2016). Onde eles conseguem trazer novamente algo elogiado nos dois filmes, a capacidade de trabalhar diversos personagens de uma forma que todos tenham seu espaço, mostrando que todos tem sua importância para a trama desenvolvida. Em Guerra Infinita, não há um personagem principal, com exceção de Thanos. Todos, têm uma grande cena ou um momento que justifica sua participação. A parte mais difícil do longa era com certeza isso, e eles conseguiram. Com superioridade.

A história se transforma a cada ato de Thanos, é como se víssemos a história por seus olhos, como se explicasse ao espectador a cada ato, gerando uma empatia grande, mesmo que seus atos sejam duros, mortais e questionáveis. O vilão tem aqui diversos momentos de mudança, o ator Josh Brolin soube construir cada momento com maestria e frieza. Esperamos que ele apareça mais.

Conforme as informações do longa foram sendo liberadas, onde haveria a divisão da equipe para parar o titã louco, se imaginava se isso deixaria alguns personagens em segundo plano. Isso não ocorre em nenhum momento, o roteiro acima da média não deixa isso ocorrer. Mesmo quando eles utilizam a “fórmula Marvel” nos cinemas percebe-se que conforme o filme fica mais dramático e pesado, as piadas e alívios cômicos ficam para trás, afinal o momento é outro.

O filme acaba deixando o espectador apático, algo não visto em nenhum filme de super-herói, o final é chocante e deixa diversas pontas pra sequência marcada para 2019. E interfere nos próximos filmes, cumprindo a promessa feita pelo estúdio desde o anúncio deste dois Vingadores.

Guerra Infinita se destaca por trazer o vilão e seus seguidores ao palco principal, os heróis nesse longa são coadjuvantes, por mais que eles queriam pará-lo. Ele dita as regras da ação e por isso, o longa é acima da média em tantos aspectos e marca um ponto importante, pois agora o que queremos saber o que ocorre com eles pós a invasão de Thanos.